sábado, 13 de setembro de 2014

Dos Meus Relógios Inconclusivos

Visualizações:


Nos meus relógios inconclusivos
já não é hora da morte passar
por entre os minutos do infinito
onde os segundos já não existem mais.

Nos meus relógios o arroubo dos dias
que transcendentes em êxtase senil
carregam o tempo ao arrebatamento
deixando nos ossos sensação pueril.

Nos meus relógios é o tempo da poesia,
indeterminado instante de inspiração
qual navalha na carne e o sangue nas mãos
e o cordeiro que orou em seu sacrifício.

Nos meus relógios são versos de tic-tacs
incessantes marcando sustenido e bemol
e nas frestas do tempo o alento do sol
enlevado às frontes dos meus girassóis.

Nos meus relógios a música termina
e o compasso do som é uma circunferência
que rocamboleia na mente a indiferença
de um verso ou outro verso d’algum final.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...