quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Indriso da Lua Cheia

Visualizações:


Sou de sangue borbulhante adoentado
ignorante aos auspícios dessa dor, fulgor
que embriaga e ameniza o alienado

sou de vertente imponente desse amor;
poeta escasso de entusiasmos, ambiguidades
que esmorecem, que desfalecem minhas idades.

E a lua cheia tal qual sereia da meia noite

é a candeia bruxuleante, clamor do açoite.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...