quarta-feira, 27 de março de 2013

Versos Inadequados

Visualizações:



Sandices inóspitas inadequadas
de uma estrela tola vagante
que cansada orbita sem parada
espalhando poeira de gente errante.

Velhos cacos cósmicos desvirginados
pelas carícias meteóricas pragmáticas
que geram filhas e filhos alados
que parem anjos caídos inanimados.

E da poesia-ácida-explosiva
átomos desintegrados de uma cerveja
noturna em uma roda de alegações conclusivas
sobre o penúltimo bocejar do último sol.

E lá vai... E lá vem... O crepúsculo da aurora
que sem demora desorvalha minhas pétalas caídas
e de sobreaviso desnuda os caules da vida
calando num espaço vazio as vozes do amanhecer.

Já não quero algures novamente renascer
só quero passear por essas vias siderais
e espalhar com alguns versos as chaves do nunca mais
ou quem sabe implodir minhas partículas numa velha supernova.


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Supernova Remnant - NASA/ESA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...