terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Reticências

Visualizações:



Um céu pálido como a neve
Nessa tarde estranha e vazia
Onde vejo as andorinhas
Dançando em suas acrobacias

Um cálido vento lava meu rosto
Distante a vagar em pensamentos
Recostado na janela ao meu gosto
Onde o artista aventurou outro esboço

E nos canteiros tão caladas essas flores
Como se o tempo estivesse parado
E da ampulheta que contava uma história
Restaram apenas cacos despedaçados

E as areias do relógio se espalharam
Levando as trágicas horas escondidas
Para as casas que os ponteiros isolaram
Nas reticências brandas dessa vida


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

2 comentários:

  1. jONAS,eu adoro suas poesias mas ás vezes a correria é tanta que só dá tempo de responder os comentários!Esse ano vamos fazer aquela entrevista,se vc quiser!Lindas reticencias!bjs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anne, boa noite e obrigado pela visita e comentário...Quando você quiser fazer a entrevista é só me avisar, será um grande prazer!!Abraços!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...