quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Trinta e Um

Visualizações:


Vejo meu tempo passando depressa
e a eternidade é só o que resta
seresta da vida, da morte e da pressa
cantigas do mundo oriundo vazio.

Vejo meu tempo escorrer ampulhetas
desertos da idade e da vivacidade
que esvai-se, e o que fica é conhecimento
regente da morte, do amor e do tempo.

Vejo os meus anos escapando entre os dedos
e o fim fica próximo do meu desejo
que é de atravessar pela porta sem medo
que é conhecer o que é o outro lado.

Vejo o meu tempo passando depressa
meus trinta e um anos de eternidades
contados nos dedos, vivendo de verdade
bem próximo do meu juízo final.


Jonas R. Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...