terça-feira, 4 de novembro de 2014

Paradoxo das Paixões

Visualizações:


Vastas as linguagens do amor,
poesias, prosas, gestos, ardor;
e o que ama deslumbra-se ardil
e a amada recatada sucumbiu
aos cantares e ninares do cancioneiro
e aos versos e cantigas do trovador
ficou então ao invés da dor uma paixão
que avassala e despetala o coração.

Vastas as dores insípidas da solidão;
paradoxo, antítese de tesão
e, o platonismo sem mais lirismo esmorece
enquanto a alma desossada enlouquece
àquelas mágoas vívidas da morte em vão,
àquelas mortes inodoras da podridão
do corpo inerte, imóvel, em um caixão
à luz da campa, flores que murcham, inanição.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...