segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Das Espadas o Fio da Vida Eterna

Visualizações:


De uma espada que transpassa
o virgem ventre do universo
o som do fogo, a mãe do verso;
e a melodia ressoa infinita.
                       
Dessa espada que carrego
e do mal que assim renego
o som da lira, a chama e a pira;
e as estrelas crepitam infinitas.

Da espada o mistério dos iniciados
tão velados pelas bocas e olhares
naufragados pelo sangue, pelos mares;
e das profundezas eis que renasce a fé.

Da espada esse gládio assassino
tão feroz mas ainda tão menino
e um vislumbre do beijo amigo;
um beijo amargo que marca o fim.


Jonas R. Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...