domingo, 17 de maio de 2015

Versos Improfanáveis

Visualizações:


Ebulições transdimensionais
em cabeças decapitadas nuas
dependuradas pelas ruas
dos prostíbulos do nunca mais
& já não há abotoaduras vazias
em camisas de vênus e de marte,
somente vagantes inóspitos
borboleteando polens por aí
& o sol já não é o mesmo,
não é mais; fotossintetizando
os olhares carnais no abismo
onde anjos e demônios bebem
xícaras e xícaras de chá de cogumelos
frescos; e o mundo é a foz do caos
& o poeta adormeceu durante anos
em catacumbas profundas e isoladas
onde nem Deus nem o Diabo
puderam profanas seus versos.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...