sexta-feira, 1 de maio de 2015

Fluxo

Visualizações:


Às vezes são luzes outras são trevas
mas, nada é totalmente intransponível
todos os obstáculos se desfazem na mente
e o poeta então se refaz no consciente.

Derramo-me em rios de poesia
e caudaloso sigo o fluxo do coração,
rios intravenosos de sensações
que fluem como novos pensamentos.

Liquefaço-me em rimas e versos
mas, o ser é complexo e o reflexo
no espelho é o outro lado da moeda,
cara e coroa em um jogo de azar.

Às vezes é o sol, às vezes é lua e chuva;
incalculáveis são as miríades de estrelas
mas, nas constelações há o poema perfeito
de letras divinas pintadas na aquarela do eterno.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...