quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Obliteração de um Dilúculo Lusco-Fusco

Visualizações:


O sol despontou esfuziante
no âmbito de um dia álacre,
os pássaros chilrearam ledos
e as flores perfilharam no jardim;

o poeta apreciou meticuloso
e transmudou em letras aquele azo,
foi um átimo de elã inaudito
recontado em verso portentoso.

O sol auferiu até o zênite
e rebrilhou com fulgor capitoso,
os pássaros coligiram-se nos ramos
daquelas flores de colorido aparatoso;

o poeta enterneceu-se  tácito
em uma alomorfia insólita,
então num rito são inusitado
arrepanhou-se ao todo e obliterou-se.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...