segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

O Poeta Observador

Visualizações:


O poeta sentou-se àquela marquise
mirou o horizonte longínquo
as nuvens pairando eram plúmbeas
e marcavam a chuva vindoura.

O poeta observou àquela cena
onde os pássaros recolhiam-se aos ninhos;
eram garças, pardais e andorinhas
buscando o recôndito ideal ao descanso.

O poeta sentiu a brisa refrescante,
era prenúncio de chuva; bom agouro...
Janeiro será novamente verão
e o poeta verá a transmutação das estações.

O poeta bebericou de um malte puro,
seus olhos brilhavam como a vida
que passa e deixa mil vestígios
dentro de qualquer coração simples.

O poeta agora se recolheu ao sol
que oculto deixou cores místicas
naquele arrebol cósmico e cataclísmico
que pintou as cores de uma poesia.


Jonas R. Sanches
Imagem: Ultradownloads

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...