quarta-feira, 11 de março de 2015

Soneto da Ária do Eterno

Visualizações:


Enquanto acordo desperta em mim poesia,
no horizonte a luz solar irradia
desorvalhando em tom fulgurante
o meu jardim e a paz do hierofante.

É magistral o nascedouro do dia
e vai além da letra que é cosmogonia,
é o divino espasmódico da criação
vivificando seu eu como sua extensão.

Desabam anjos e o homem floresce
em um soneto d’onde a alma adolesce
e se explana a desaguar no infinito

eterno véu é desvelado no mito
então as vozes em harmonia e clamor
entoam o cântico, a ária do clangor.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...