segunda-feira, 23 de março de 2015

Dos Pecados ao Sacrossanto

Visualizações:


Sinestésicos sentidos de prantos anestésicos
deambulantes às dores nuas harmoniosas
recolhidas em meus cálices profundos e éticos
que despetalam-se no andar profano das rosas.

Abruptas rupturas nos véus mortíferos
que lânguidos descerram terror noturno
e a alma d’uma promessa foi tom promíscuo
nos passos trágicos do peregrino soturno.

Venenos... Doces venenos das valerianas
que acodem o peito sombrio do embriagado
e o grito límpido sucumbe nas rimas
da lágrima do olhar ebúrneo desesperado.

Incensos... Olores de incensos comuns aos turíbulos,
alvadios e doces como o arrebol das máculas
e a tépida luz do ocaso bruxuleante
foi precursora da vida sagrada, amor sacrossanto.


Jonas R. Sanches
Imagem: Johann Heinrich Füssli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...