quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Cantos Idílicos de Clangor

Visualizações:


Enquanto o poeta adormeceu pelos idílios
a natureza despertou lírica e febril,
as árvores dançavam cores esmeraldinas
e, os peixes cantavam às profundezas do rio.

Paixão bucólica no verso simples e pastoril
serpenteante por entre os céus da poesia
que tem estrelas e firmamentos tão luzidios,
que voam pássaros de olhares desassombrados.

E o menino empunha a pena em bafejado
para discorrer em suas linhas o mar senil
depois coloca em uma garrafa o seu poema
para manda-lo por entre as ondas azuis anil.

Paixão bucólica na flor retórica tão multicor,
jardins suspensos por pensamentos tão arredios
e as borboletas cores discretas retém langor
enquanto os anjos entoam cantos, sons e clangor.


Jonas R. Sanches
Imagem: Joan Miro

2 comentários:

  1. Oi Jonas, bonito poema!

    um abraço

    Meu novo Blog http://papyfm.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fatima, já estou seguindo o teu blog!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...