terça-feira, 11 de novembro de 2014

Vezes e Vezes

Visualizações:


Às vezes sou somente a poesia
outras sou vento, sou grito, sou mito;
às vezes sou somente a elegia
outras sou emoção, sentimento de alegria.

Às vezes não sou, não sei, não fui
outras renasci das cinzas do vulcão
e o verso é aquilo que ele é;
devaneio, cosmogenese, criação.

Às vezes sou a sombra do elemento
outras sou o elemento em transição,
às vezes sou somente o complemento
d’algum livro, livre à interiorização.

Às vezes sou o tempo que é depressa
outras sou a voz da lentidão;
às vezes, muitas vezes, infinitas
existência dissolvida em sensação.

Às vezes eu não sou nem sol nem lua,
sou alma pura, cor do cheiro da visão;
às vezes sou um poeta inexistente
que comumente engole os sonhos e a razão.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...