sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Olhares Atemporais

Visualizações:


Olhando os contornos dos olhos do tempo
eu vejo a juventude esvair-se ao vento,
eu vejo os reflexos convexos da infância,
e o tempo me cega tomando-me a esperança.

Passam horas, minutos sagazes, segundos
e, eu corro a estrada d’algum tempo do mundo
que passa depressa e dispersa os momentos
desconexos; e o alento é o tempo elemento.

Passam anos, meses longínquos e os dias
e, eu me atraso algum século atrás
mas é a vida que passa depressa demais
e a morte que chega não volta para trás.

Olhando os contornos vejo os olhos vermelhos
machucados e as lágrimas são de ampulhetas
que guardavam desertos, incertos planetas
e eu sou o eterno guardado nas letras.

Passam vidas compridas e a morte é curta,
então curto o momento, meu carpe diem;
então sigo sorrindo, pois está tudo bem,
então sigo escrevendo, antevendo o que vem.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...