quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Impressões Noturnas

Visualizações:


E quando o dia partiu
ficou a mancha no horizonte
despertando nostalgias,
pintura esbelta de cores

então, foi silêncio e crepúsculo
e o firmamento escureceu,
azul marinho veludíneo
que de estrelas se preencheu.

E quando o dia partiu
esvoaçaram pássaros noturnos
quando soou o pio da coruja
que despertou grilos mandrujas

roubando a noite com criquilos
e o curiango de olhar soturno
com seus hábitos diuturnos
fez serenata com o urutau.

E quando o dia partiu
no céu a lua fez-se cheia,
no rio cantaram as sereias
e o marinheiro naufragou

e a água que o engoliu revolto
refletia olhares absortos
dos moços que viraram botos,
das lendas que a vovó contou.

E quando o dia partiu
despertou o poeta cancioneiro
dedilhando seu verso mateiro,
percorrendo as vagas do sertão

por onde a cantiga foi consolo
e um pirilampo alumiento
trazido pela lufada do vento
seu coração iluminou.


Jonas R. Sanches
Imagem: Ben Canales

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...