segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Das Torturas de um Sol Escaldante

Visualizações:


O sol desabou sobre nossas cabeças
agora navegamos em rios caudalosos
de um fogo que carrega os pensamentos
a lugares longínquos que amenizam o calor.

O sol duplicou o seu rebento
e do céu uma chuva de luz sem igual
vem fritar, torturar nossas poesias
e nosso sertão já é escasso de esperança.

No horizonte há vizires e miragens
de quenturas que causam-nos alucinações
e as flores que outrora eram viçosas
já murcharam em jardins e vulcões.

No horizonte um infante agressivo
e o hoje é reflexo do sol de amanhã
que aterroriza e não ameniza um instante,
que nos olha com olhos de infernos constantes.

O sol desabou sobre nossas cabeças
engolindo a chuva que tarda a chegar,
a umidade são mares do nosso suor
que da fronte incessante tende a desabar.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...