sexta-feira, 4 de julho de 2014

Soneto Incasto de um Tempo de Ignomínias

Visualizações:


Hoje o vento sopra mais depressa
e o tempo vai em si com pressa
em um tempo guardado nos relógios
de mil homens rangendo em opróbios;

e as flores foram todas destituídas
de suas cores imersas em feridas
em jardins caóticos onde penso
em um tempo vigente e propenso.

Hoje o vento passou e uma ignomínia
ficou entre as pilastras da misoginia
em um tempo gasto e já tão nefasto

que passa depressa e um tanto incasto
carregando a vida para mais além
enquanto passam anjos dizendo amém.


Jonas R. Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...