sábado, 31 de maio de 2014

Das Chispas das Estrelas e das Fogueiras

Visualizações:


No fogo a canção das estrelas
que do céu espiavam a noite
tão escura em meio a fogueira
e a madeira nua a crepitar.

No fogo uma dança de chamas
que encantava a pupila que olhava
e o que via era além do infinito,
eram chispas brindando em frêmito.

Na noite o poema soturno
que no fogo da estrela inspirou
algum verso no inverno noturno
que no vinho se dissipou.

Na noite a fogueira reluzia
e os devaneios eram constelações
que no breu faziam companhia
na alegria de dois corações.

Nas estrelas um fogo distante
relembrando almas de salamandras
que fulgiam na chama o instante
onde a madrugada tornara-se branda.


Jonas R. Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...