quinta-feira, 8 de maio de 2014

Das Analogias às Aliterações

Visualizações:


No poema um duplo universo
de analogias, rimas e versos;
e as oposições em conversão
são as consonâncias da razão.

No poema a religião explícita
ou, implicitamente secreto
o pensamento da imaginação
que é vasto como o eterno.

No poema realidades poéticas
e, a poética é a mãe do mito
da vida e da morte de tudo;
do filósofo então desnudo.

No poema a raiz concomitante
e, a manifestação das aliterações
carregam a mente às metáforas,
carregam a alma às metonímias.

No poema o verso nu escancarado
e, o espírito versifica às dualidades
tanto em mentira como em verdade;
e o poeta é o sacerdote das letras.


Jonas R. Sanches
Imagem: William Blake

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...