quarta-feira, 23 de abril de 2014

De Quando o Tempo Parou de Passar

Visualizações:


Morreram todos os deuses
e o homem é o órfão cristão
dentro do tempo verdadeiro
sem datas de imaginação.

Morreram todas as flores
e o homem é o álibi eterno
dessa ironia sem intenção
sem hora de ressurreição.

Morreram todos os deuses
e os filhos dos filhos dos filhos
nasceram sem pai, sem irmãos;
no leito suspeito da sensação.

Morreram todas as flores
e os homens escravos das dores
sucumbem diante os amores
num tempo que é só perdição.

Morreram todos os deuses
e os santos morreram sem pão
os homens famintos comeram
as horas da minha ilusão.

Morreram todas as flores,
morreram sem água, sem sol;
enquanto os homens viviam
na sombra de algum arrebol.

Morreram todos os deuses,
morreram todas as flores,
morreram todas as honras,
morreram todos os homens.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...