domingo, 30 de março de 2014

Das Raízes Sertanejas de Minh’alma

Visualizações:


Sou um poeta
de vertente sertanejas
que verseja às belezas
das flores novas pelo chão

desse terreiro
cultivado à lua nova
que deixa a planta viçosa
de acordo com a estação.

Sou desses versos
tão comuns e elaborados
pelos séculos passados
dentre as roças do sertão;

sou delinquente
mas planto minha semente
nesse chão pra toda gente
que delira o coração.

Sou pedra rara
de melindres tão estranhos
de vivencias e artimanhas
conquistando os corações

que batem forte
ao meu verso sertanejo
pela mulher que desejo
pra decorar o meu bordão.

Sou madrugada
daquelas enluaradas
clareando a estrada
 prateada da paixão;

sou rosa estranha
que espinha suas entranhas
nessa senda de barganhas;
sou um fruto da ilusão.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...