domingo, 26 de janeiro de 2014

Minha Incurável Doença Poética

Visualizações:


Detritos de uma explosão emocional
tornam meus distúrbios animais
e minha respiração é ofegante, estressante;
nesses pulmões de ogiva nuclear.

Minha doença poética incurável
não tem remédio e nem contraindicações;
mas, meus cabelos já não são longos o bastante
mas, as linhas dos meus pensamentos são infinitas.

Recito meu grito que ecoa na tumba,
versifico meus grilos que incomodam vizinhos
mas, tudo isso não é nada de mais
mas, tudo isso não é nada que eu possa inalar.

Minha doença poética incurável
não tem vacina mas é inenarrável,
mas, tudo isso não passa de ponderações
mas, são notas fragmentadas do meu coração.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...