quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Devaneios do Final da Primavera

Visualizações:


Morcegos não são ratos envelhecidos
e a Cuca não vem me pegar
meus folclores são dádivas extrovertidas
e na minha rua passam carros antigos.

Analgésicos fortes são das flores da papoula
e São Jorge matou o dragão da lua
minhas rezas são feitiços inebriantes
e no meu quintal cultivo sonhos úmidos.

Amores que se assassinam são ciúmes
e no rodamoinho um ou dois Sacis
meu cachimbo acendo aos Pretos Velhos
e na varanda do universo temporal de estrelas.

Olhares se assimilam em um quarto escuro
e nas missas de domingo eu estou dormindo
minhas preces são com pressa de verdades
e na estação do trem um homem espera a noite.

Cogumelos germinam imagens psicodélicas
e nos fuzis histórias de guerras e holocaustos
minhas poesias são antes do almoço e do jantar
como diz no receituário do psiquiatra insano.

E na árvore de natal uma pomba fez seu ninho
pobre menino que não ganhou presente
mas disse a vizinhança que vai ser presidente
só falta ir ao dentista para consertar seus dentes.


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...