sábado, 8 de junho de 2013

Do Ventre Poético

Visualizações:


Do ventre do poeta
o embrião da poesia
em gestação do infinito
em formação à luz da vida;

e no amor versificado
às letras sua maternidade
dividida a paternidade
das rimas brutas eloquentes.

Do ventre agora o parto vasto
sentindo a dor e inspiração
nascidas em vítreo coração
corpuscular e insensato;

mas de loucura o poeta é nato
e seus caminhos são metafóricos
cheios de emblemas e anonimatos
dos sentimentos tão eufóricos.

Do ventre a trova e até soneto
falas simplórias que vem dos guetos;
dos ventos cantigas feitas folclores
vozes das matas, sangue dos homens

que trilham e brilham em suas sendas
que mais parecem parlendas
cheias de mistérios e fantasias
que encobrem noites e revelam dias.


Jonas Rogerio Sanches 
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...