terça-feira, 28 de maio de 2013

Operário das Letras

Visualizações:


Era eu um operário, que construía com as letras e meu martelo era a caneta por onde calejava minhas mãos, mas o que eu era não importava, o que valiam eram as palavras que enchiam o bolso do patrão.
Agora eu novo operário, que aprendeu valorizar e o conhecimento amar, bati o martelo na injustiça e com minhas letras concisas minhas palavras espalhei.
E assim foi justo o resultado, o meu suor condecorado pelo valor a ele dado deixou de ser só ganha pão, agora eu já não mais subalterno trabalho as letras com esmero que flui do meu coração, que fala alto à liberdade dos operários da nação.


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...