terça-feira, 23 de abril de 2013

Versejando Minuciosidades de uma Senda Infinita

Visualizações:



Num versejar minucioso eu caminho
interiorizando a chaga do espinho
e no espírito que vaga sozinho
uma recordação entrecortada de emoção.

E na volúpia de uma taça de vinho
degustada algures nas vias poéticas
entre almas nuas de castas ecléticas
uma nostalgia já fatigada de prantos.

Num versejar tão detalhado do espelho
uma palavra refletida no olhar vermelho
e um disparo ao convexo já complexo
do conteúdo obtido em ápices de introspecção.

E nas vertigens derivadas do firmamento
já há o novo envelhecido e embevecido
com toda mágica decerto à pratica restrita
da vida cálida a tatear vias malditas.

Num versejar, portanto um tanto pecaminoso
passos tão lentos em solo gasto e nodoso
jogando aos pássaros grãos secos metafóricos
colhendo campos tão coloridos e insólitos.

E nas colinas já correm soltas insanidades
se misturando em metamorfoses com a verdade
e os fragmentos dos pensamentos são distorcidos
restando apenas esse poema de amores híbridos.


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: NASA/ESA

2 comentários:

  1. Bom dia!!! passando para fazer uma visita e te convidar para visitar o novo Web Zone confira e siga tb... parabéns pelo trabalho aqui!!
    Jesus te abençoe!!! http://webzone14.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...