sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Olhando as frestas da janela do tempo só para ver meu amor chegar...

Visualizações:



Fico aqui a olhar as vagas do vento
esperando chegar a sucinta inspiração
e num momento áspero e imorrível
eu adormeço e sonho que sou poeta

e deixo a fúria das tempestades passar
para beber dos cálices de Dionísio
e poder recitar versos a Afrodite
para quem sabe ela se apaixonar.

Fico aqui a olhar as frestas do tempo
esperando a hora perdida que não veio
e num relampejo a mente vislumbra o mar
e navego na imaginação como se fosse poeta

e deixo Sansão viver junto aos leões
e condeno a morte os pecados de Dalila
e em novas vestes sou o último juiz
que libertará as almas dos esquecidos.

Fico aqui a olhar os vazios do meu leito
esperando você lembrar o caminho
e retornar trazendo a cor dos seus olhos
para eu decifrá-los com destreza de poeta

que mira esse céu infindo na bruma do seu olhar
e as palavras serão como cantigas de amor
que te ninarão e acariciarão sua tez veludínea
somente para eu poder te copiar na próxima poesia.


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...