sábado, 19 de janeiro de 2013

A Ti Doo Minh’Alma

Visualizações:



Fui canalha do calabouço
de agosto ao meu gosto
mas fui fuga intermitente
e a liberdade fez cócegas.

Fui a fuga pelo amor sincero
e a recompensa foi amizade
que hoje é saudade cruel
nessa distância irremediável.

Mesmo sendo como o sol
eu sou um simples poeta
que apaixonado sofre são
e desgasta-se no amor puro;

que mesmo tão puro e real
faz feridas no âmago diário
e o amanhã é uma esperança
de sentir seu gosto em mim.

Tento gravar gostos em poesia
mas seu gosto ainda desconheço
mas sua olência apaixonante gravei
nas células degustantes de eu mesmo.

Não posso citar seu nome, mas sabe
que eu te amo mesmo sem te revelar
pois sei que nossa amizade tem um valor
alem de todo amor que eu posso dar.

Só peço que meu carinho seja aceito
e tenha efeito coerente em seu pensar
pois se eu tiver lugar sobre seu leito
só sei que amarei além do esperar.

E a cada amanhecer eu serei sua alma
e sem provar nada aos expectadores te adorarei...

Jonas Rogerio Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...