terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Livro - Nas Asas da Poesia



Amigos Leitores

Este livro reúne uma vasta gama de poesias sobre diversos assuntos, dentre eles o amor, a esperança, a natureza e a busca espiritual... Todo o conteúdo foi elaborado com toda a dedicação, amor e inspiração possíveis.

Você pode adquirir seu exemplar no link:


domingo, 29 de janeiro de 2012

Ciclos


Todas aquelas flores murcharam
No sol escaldante do verão
Mas novos botões se manifestaram
Dando seqüência a criação

Todos os ventos já cessaram
Mas deixaram folhas pelo chão
Árvores que a pouco se envergaram
Agora impávidas se levantam aos céus

Todas as estrelas que brilharam
Adormeceram com a chegada da manhã
Restou apenas esse cenário
E a doce voz de Iansã

Também restou o meu amor por você
Que inquebrantável segue forte
Aspirações e sonhos do meu viver
Que superam até a dança da morte

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Hipóteses


Vasculhei a mente de infinitos pensamentos
Encontrei ali indescritíveis sentimentos
Uns escondidos e outros em arrebento
Guardei alguns no coração e livrei-me do tormento

Vasculhei também o livro das possibilidades
Onde registro os meus sonhos desde tenra idade
Encontrei ali uma vasta gama de amizades
E também muitos caminhos repletos de felicidade

Para eu poder contar detalhada essa empreitada
Só escrevendo poesias até alta madrugada
Mas faltarão palavras de teor e vivacidade
Pois meus versos são escritos com minha simplicidade

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Espreita


Senti a morte espreitando
Revirando-se junto a mim no lençol
Foi um sonho ou real?
Acordei me sentindo mal

Não que tema a morte de repente
Mas temo o sofrimento alheio
Mas será que iriam notar?
Logo não precisariam mais lembrar

Ficaria a alguns saudade
Mas isso é passageiro
O tempo cura com a idade
Restariam só os olhos vermelhos

Mas continuo aqui inteiro
Tudo não passou de devaneio
Pois a morte é a mim gentil
E a vida em meu ser luziu

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Destemido


Tudo se elevando diante a dor
Que forja o espírito em ascensão
Como uma esfinge na mente do buscador
E o mercúrio no cadinho do seu coração

Em cada tombo nessa escalada
Levanta-se com mais coragem
Desconhece a distância da caminhada
Mas vê sua alma no espelho refletida

Pois há muito tempo tem aprendido
E mesmo assim ainda não sabe nada
Mas tem a garra dos destemidos
E uma aura grande e iluminada

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Eu e a Poesia


O que eu seria sem tu poesia?
Que me acompanha na tristeza e na alegria
Que me dá abrigo nas nevascas da sensação
E embala meus sonhos em realização

O que seria eu então?
Seria estrela sem brilho sem você
Uma noite eterna sem amanhecer
Ou caminhada no deserto sem anoitecer

Poesia serena encante minha pena
Dirijam minha mente... Seja meu emblema
Poesia de amor perfume minha dor
Me leve até ela... À vida dê cor

Faça morada em minh’alma poesia
Acompanhe-me por noites e dias
E seja bela e terna em manifestação
Para que meus dizeres toquem o coração

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Geração de Anjos


A nova luz do mundo são nossas crianças
Vejo em seus olhos uma nova esperança
Bondade suprema em seus corações
O grande futuro de todas as nações

Devemos cuidar, amar e educar
As pequenas sementes de um mundo melhor
Ensinando-as a natureza preservar
E aos seus semelhantes sempre respeitar

Senão toda luta pela liberdade
Será uma utopia criada em vão
Todas as batalhas pela igualdade
Nos rastros da história se perderão

São anjos e estrelas... A benção dos homens
Das almas luzentes... Nova geração
Pequenos salvadores enviados a nós
Para dar continuidade a nossa missão

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Um Amigo que Deixou Lembranças


Ficam lembranças nobres dos momentos
Onde ríamos e chorávamos juntos
Mais ríamos que chorávamos
E nas recordações um grande vazio

Tu eras grande e continua sendo
Mas deixarás muita saudade
O conforto é saber que um dia
Encontraremo-nos diante a eternidade

Sua força será pra mim um exemplo
De luta e alegria sem nenhum lamento
Pois somente palavras de conforto deixaste
De todas as coisas contra que lutaste

Mas tenho a certeza que encontrou morada
Em meio aos Anjos mais belos de Deus
Tudo isso faz parte da nossa caminhada
E da evolução dos meus e dos seus

Jonas Rogerio Sanches

Dedico essa poesia ao eterno amigo Rafael Witzke Nogueira, que me ensinou muito com nossa amizade bela e sincera, que Deus o receba de braços abertos e guarde seu espírito junto aos mais grandioso seres do céu.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Sopro de Vida


A pluralidade da vida
Refletida nas cores e no suspiro
De um corpo cansado no leito
Respiração final de um peito

Despido de arrependimentos
Descansará o espírito eterno
Ansioso por renovar-se
E vestir-se de luz e alvura

A pluralidade da vida
Dispersa em cada caule seivoso
Em cada pétala perfumada
Onde habita o perfeito e o belo

Guardado na semente os genes
Do sublime... Do perene
Enterrado no seio fértil da terra
Aguardando o sopro divino

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Nas Entranhas do Ser


Das entranhas do meu ser invoco a luz
Que às vezes se ofusca diante as trevas do mundo
Mas que permanece acesa constantemente
Mesmo que a iluminar somente o coração

Das entranhas do meu ser invoco a paz
Que às vezes se estremece diante os problemas
Mas que reina eterna em minha vida
Mesmo que seja no momento de oração

Das entranhas do universo invoco o saber
Que às vezes é grande diante minha ignorância
Mas é o archote a guiar meus passos
E o alicerce de toda minha senda

Das entranhas do meu coração invoco o amor
Que sinto pela mulher que me foi destinada
Um amor puro que me encoraja
A continuar a lutar pela felicidade

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Sintonia Perfeita


Manhã de segunda-feira e o poeta inicia
A semana alegremente, compondo poesia
Pois a vida é para ser vivida intensamente
A tristeza e a solidão são criações da mente

Falo isso por que mesmo você estando distante
No meu peito cresce esse amor a cada instante
Alimentando de esperança todo meu ser
Mostrando ao coração que é a razão do meu viver

Sei que está comigo em sua essência
Do mesmo modo que estou contigo
Nossas almas sintonizadas
Tendo o universo como abrigo

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

domingo, 22 de janeiro de 2012

Grandioso Eterno


Por detrás daquele pôr do sol
Sei que há uma força maior
Que vai além da compreensão
Que marca o ritmo da evolução

Cósmico ou Deus são alguns de seus nomes
De perfeição inigualável é o seu verbo
De onde o equilíbrio se faz visível
Mesmo agindo de maneira invisível

Belezas e pinturas vivas criadas a todo instante
A vida, a morte e o sorriso sincero
As águas límpidas de uma cascata
E o movimento do mar carregando a fragata

Essência pura e semente das almas
Esculpindo galáxias na imensidão
Enfeitando de estrelas a noite dos apaixonados
Dando força aos homens cumprirem sua missão

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Noites sem Poesia


Nas noites sem poesia
Não brilham estrelas no céu
Não ouço a música dos ventos
E a lua tímida deixa saudade

Nas noites sem poesia
Não ha sonhos em meu sono
Os coiotes não uivam na colina
Se escondendo em meio à neblina

Nas noites sem poesia
Não ha mais noite
Somente um breu trevoso
Onde o coração fica temeroso

Por isso guardo poesias no meu baú
Para não faltar luz em minha vida
E ter amor transbordando para você
Junto às estrelas até amanhecer

E novamente já não ha mais noite
Pois o sol raiou repleto de calor e letras
Despertando o voo delicado da borboleta
E germinando os novos botões poéticos

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Pérolas


Pérolas e espinhos pelo caminho
D’onde arranco risos e lágrimas
Jóias raras em um pergaminho
A desvendar-se num copo de vinho

Pérolas e pássaros embriagados
De um licor de vida longa
Amores distantes sempre ligados
Numa sinfonia... Emaranhados

Pérolas e sangue nas mãos do rei
Que desvaneceu em sua ganância
Ideais escassos de perseverança
De uma palidez sem esperança

Pérolas de luz em meu coração
Refratadas no prisma incolor
Levadas pelos ventos noroeste
Até os lábios do meu amor

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Através do Amor


Através do amor cresci
Saí do berço aonde nasci
Para encontrar-te e ser feliz
Tu és a minha força motriz

Através do astral caminhei
Em sua direção mirei
Para segurar a sua mão
E te dar meu coração

Através da luz voei
Pra estrelas te levei
Mostrando-te a minha alma
E essa sensação que me acalma

Através das letras criei
Para você essa poesia
Sabendo que vencerei
Até as forças mais sombrias

Para estar sempre contigo
Tornei-me dos anjos grande amigo
Que ao nosso amor dão proteção
Abençoando a nossa união

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Superar


Sim
a  dor
eu venci

Fui
calei
meditei

Por
querer
superar

O 
medo
que senti

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Peregrino


Sou peregrino e de bagagem
Carrego a pena e a caderneta
À tarde paro na estalagem
Pra dispersar as minhas letras

Sou peregrino e poeta
Minha vontade é minha coragem
O pensamento é a flecha
A indicar minha viagem

Sou peregrino incansável
Caminho as vias da existência
Meu coração sempre implacável
Ensina-me a paciência

Sou peregrino apaixonado
Elevo o nome dela aos astros
Juntos andamos pela areia
Ondas apagam os nossos rastros

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Um Grito


Aquilo que pensamos ser realmente é aquilo que somos, lutamos por nossos direitos e acovardamo-nos pelo nosso real papel diante das dificuldades dentre nossos obstáculos diários.
Nossa voz solitária é inaudível ao mundo, mas juntos somos o grito insuperável da garganta da vontade de cada um.
Então grite sem medo de mudanças, pois, somos seres adaptáveis ao amanhã desconhecido e sem esperança aos pessimistas. Mas aonde esconderam as vossas coragens?  Seja aquilo que tens vontade de ser meu irmão divino... Deixem-se manifestar em seu grande ser... Células universais e fundamentais... Engrenagem da evolução e vontade de vossas almas em unificação com o Todo. 
Dentre todos os seres viventes somos aqueles providos da Inteligência e do livre-arbítrio, determinamos o nosso amanhã mesmo agindo involuntariamente em nosso âmago, contrariando a vontade imposta pelo governo e pelo vizinho que tenta manipular nossas ações pessoais.
Sejamos nós mesmos em nossas escolhas, não se deixe influenciar pela palavra alheia e acima de todas as palavras ditas busque sua interpretação diante aos fatos.

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Velocidade da Luz


O pensamento que na mente reluz
Distorcendo a percepção comum
Levando-nos a velocidade da luz
Concepção do superior que conduz

Viagens repletas de contemplação
Cosmicamente anexadas na alma
Cristais que refletem longínquas recordações
E nos carregam ao zênite da calma

Movimentos em um simples segundo de vida
Registrado nos diários da eternidade
Movimentando o éter que permeia tudo
Dando formas aos devaneios mudos

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Insurreição


Decretos incorretos comandando as ações
Frutos de movimentos em prol de destruições
E aonde se refugiará a população?
Nesse declínio que se espalha de nação em nação

Futuros brilhantes comprometidos por essa pobreza
Aonde o homem honesto tem medo de sua grandeza
E onde fica o lugar da honra e do brio?
Escondidos pelo insano e cruel sistema

A coragem é a arma do renascimento
Munidos de amor próprio, vontade e sentimento
Movimento imbatível do desenvolvimento
Erga a cabeça e siga em frente... Abandone seus lamentos

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Panacéia


Panacéia curandeira mitológica
De Asclépio herdou sua sabedoria
Deusa da cura de reputação histórica
A medicina trouxe curas e melodias

Neta de Apolo teve por irmã Hígia
Figura amada foi citada por Hipócrates
Em juramento dito até nossos dias
Cure minhas chagas e me liberte da agonia

Seja eterna a lembrança do teu nome
E inspiração para os doutores atuais
Que a compaixão e o amor pelo ser vivo
Liberte os homens e também os animais

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

domingo, 15 de janeiro de 2012

Movido a Poesia


Enxergo os versos em qualquer canto
Na flor, na cor e até no pranto
A poesia que voa igual passarinho
Letras enroscadas na roda do moinho

Malabarismo de rimas e encantamentos
Palhaçadas no circo dos inventos
Redemoinhos de cordéis ao vento
Todos repletos de poéticos sentimentos

Palavreados de muitas culturas
Desde o nordeste ao sul do Brasil
Estrofes de rara formosura
Todas misturadas ao olor primaveril

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Sonhos Mensageiros


Manhã estranha de sensações
Desperto de sonhos épicos
Aonde fui rei de uma nação
E vivi entre os povos helênicos

Travei batalhas pela coroa
E dei a vida pelo grande amor
Que pra alegria do meu coração
Era você Violeta Flor

Fui transportado de um sonho a outro
E deparei-me agora entre ciganos
Aonde novamente lutas ferrenhas
Foram necessárias para meus planos

Lutei com reis e saqueadores
Para proteger-te minha querida
Mais os ferimentos trouxeram dores
E padeci em mãos assassinas

Como uma sina ou recordações
Entre piratas conheci nações
Em uma busca que teve parada
Quando te reencontrei oh minha amada

Foram três sonhos bem diferentes
Mas em todos eles a mesmo recado
Dizendo que para eu viver contente
Somente estando vivo ao seu lado

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sábado, 14 de janeiro de 2012

Tarde Chuvosa



Entre dores e sorrisos
Grandes amores e corações partidos
Momentos bons e às vezes insanos
A vida passa deixando de herança os anos

Saudade aumenta nesses dias chuvosos
Nessa espera que parece interminável
Tardes onde o coração fica choroso
E o pensamento que vaga insaciável

Nas minhas lembranças o calor dos seus abraços
Lá nas estrelas está escrito os nossos passos
Como o universo são eternos os nossos laços
Nossas histórias que em unidade se entrelaçam

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Indignação


O céu em nuances de cinza
As plantações castigadas pelo vento
Solo encharcado e a chuva que não cessa
Vidas ceifadas e um grito de tormento

Infelizmente todo ano se repete
Cheia dos rios degradados pelo homem
A natureza manifesta-se de repente
Castigando a nossa linda e nobre gente

E lá sentados em palácio e regalias
Alto escalão fica de braços cruzados
Como é que pode os governantes nesses dias
Só se importarem em ter riquezas em demasia

Enquanto isso as verbas da reconstrução
Acham guarida bem no bolso do ladrão
Eu me revolto vendo tanta injustiça
Pois certamente isso é caso de polícia

O meu respeito deixo as vitimas cariocas
E aos mineiros minha humilde oração
Povo aguerrido acostumado ao sofrimento
Que a braço forte construiu essa nação

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Humanidade Renascida


Percebo a alma do mundo manifestar-se
Nutrindo e lapidando os seres
Demonstrando verdades pessoais e únicas
Destrancando as fechaduras da vida

Olhe-se e veja o amor que o habita
Deixe sua alma direcionar-te
E fundir-se a alma do mundo
E juntos viverem nessa mônada universal

Mas já é novamente hora de acordar
E as aspirações se renovaram
Novos passos e novas sensações
Com os olhos livres das ilusões

O caos cessou e reinou o equilíbrio
Dentro desse silêncio contínuo
E os homens tornaram-se um
É o início de um novo katún

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...