quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Fingindo uma Poesia

Visualizações:



É todo o meu fingimento comprimido
e fragmentado nessa poesia torpe;
toda tristeza mascarando o real
de uma alegria quase inexistente.

É um verso fingidor de todas as rimas
que obscurece a vida, o sol avassalador
modificando e enganando meu clima
corpuscular e afrodítico dessa lida.

São parâmetros sem nexos espaciais
que escondem todo esse logro literário
e, enterram em terra barrenta essa cognição
que move a caneta e o ônibus intergaláctico.

É todo um mundo doente e fingindo
uma cura pra lá de coerente e pungente
numa roda cósmica inédita e sem igual
que mortifica todas minhas falsas vontades.

É uma última estrofe de incoerências
excluindo todo o fingido momento estro
enquanto eu observo um aquário de inspirações
e escrevo uma insanidade pra lá de oblíqua.


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...