quarta-feira, 12 de setembro de 2012

A Poesia de Todas as Cores e Primaveras

Visualizações:



A poesia das cores
e de todas as primaveras
dos pássaros e feras
nas florestas dos feitiços
e os mitos já mortos
queimaram fogueiras
com suas histórias.

A poesia das flores
e de todas as estações
das guerras e das nações
nas montanhas de gelo
onde os leões alados
ainda rugem sua mágica
e calam os tempos.

A poesia do poeta morto
e dos vivos ainda em versos
semeadores de luz
e nas cantigas antigas
soberanas dos festins
e nas donzelas encantadas
que adormeceram por eras.

Somente a minha poesia
sussurrante e macia
que adentra a noite e o dia
e os ouvidos das estrelas
por séculos e galáxias
levando o meu grito
numa voz quase muda.

A poesia desnuda
que em alma amena
o coração serena
e apazigua
toda força ambígua
e perfuma os sons
com letras e tons.

Somente poesia
regente do eu
e do caminho
que percorro
acompanhado
ou sozinho,
eterna senda de vida...



Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...