segunda-feira, 25 de junho de 2012

Fender

Visualizações:



Vejo cores em distorções de uma fender
E os cabelos emaranhados em asteroides
Quanto blues encerra em meus sonhos
E uma frenética armadilha de acordes
O titubear de um garçom das pirâmides
Servindo vinho em cabeças de faraós
Ouça a musica amarelada das areias
São os tempos cantando mortes em ampulhetas
E o cinturão pregado no céu do caçador
Alucina em noites onde dorme o escorpião
E no final dos tempos minha guitarra
Sussurrando esse blues estrelado


Jonas Rogerio Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...