sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Poesia ao Ano Novo


Para o ano que se inicia
Alimento a minha esperança
De espalhar minhas poesias
Ou voltar a ser criança

Também disperso em versos essa oração
Que nasce em meu coração
Onde peço um mundo pacífico
Repleto de amor e união

Que a fome seja extirpada
E brilhe a luz nessa escuridão
Que a mãe terra seja mais respeitada
E os inimigos sejam novamente irmãos

Um sonho distante de um mundo perfeito
Onde os males sejam rarefeitos
A bondade seja a maior lei
E a caridade o maior conceito

Deixo um feliz ano novo
Pedindo ao Cósmico proteção
Aos Anjos peço os conselhos
E bênçãos aos meus irmãos


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Jonas Rogerio Sanches

Dissonante







Tenho como sagrado
A minha alma e minha pena
A alma eternizada
E a pena sempre ao meu lado

Dos risos copio as cores
Do mundo o sofrimento
Transcrevendo em poesias
Os corações e seus tormentos

Sinto a mão que me protege
Direcionando minhas palavras
Sei que é tu meu benfazejo
Sagrado anjo da guarda

E no meu peito o amor é vivo
No pensamento a sua presença
A sintonia que eu preciso
Estou contigo mesmo em ausência

Jonas Rogerio Sanches

Imagem: Google

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Em Equilíbrio







Perfeição da natureza
Demonstrada nos detalhes
Cada qual com sua beleza
Cada flor em seu entalhe

Luz e trevas de mãos atadas
Em equilíbrio ordem e caos
Forças cósmicas são aliadas
Primeira estrela no arrebol

Forças supremas em atividade
Emancipando a vida pelo universo
Um grito da voz da verdade
E o verbo se faz incontroverso

Na sua paz o poeta contempla
Todas as letras da criação
No seu microcosmo ele enfrenta
Momentos de introspecção



Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Resgate da Alma




Se escolhi já não recordo
As agruras dessa existência
Mas acredito ter valor
O sofrimento e a penitência

Combaterei o bom combate
Contra meus medos mais profundos
Meu coração vivo e escarlate
Que ama as provas deste mundo

Renascerei se for preciso
Pra resgatar as minhas dívidas
No meu destino indeciso
Minha vontade é muito vívida


Jonas Rogerio Sanches  
Imagem: Google

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Poeta Triste




Poeta triste ao pôr do sol
Confusas luzes no arrebol
Coração triste e calado
Lágrimas em meu lençol

A distância do amor
Somente me faz sofrer
No peito reina a dor
Saudade de te ver

Sou nada este momento
Palavras jogo ao vento
Homem dilacerado
Momento de tormento

Espólios dessa vida
Batalhas dos sentimentos
O que eu mais queria
É seu abraço e meu alento


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

Impávido




Impávido caminhante solitário
Que enfrenta as provas com brocardo
Para tornar-se da luz um emissário
E soar os sinos lá do campanário

Sua cruz carrega com ufania
Sem se queixar da dor e da clausura
Seu coração zela uma epifania
E seu olhar ostenta brilho e doçura

Grande missão que com grande alegria
Ele registra em forma de poesia
Tendo a certeza de que vai valer à pena
Pois fez da paz seu galardão e seu emblema

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Buscando Palavras




Onde está a inspiração?
Olho o céu repleto de estrelas
Sinto o olor da flor
E o palpitar do meu coração

Traga-me de volta as palavras vento
Não carregue meu alento
Balbucie rimas no meu ouvido
Renove minha alma de destemido

Traga também em sua leveza
O canto distante do rouxinol
Das delicadas borboletas eu quero a beleza
E a lua brilhante como um farol

Só assim encontrarei novamente
Os minutos de luz que chegam de repente
As palavras corretas que colorem as rimas
Sendas de um poeta que nunca desanima

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

domingo, 25 de dezembro de 2011

Aurora Poética




Vejo o sol surgir na aurora
E pelo mar espalhar seu brilho
O seu vívido calor vem sem demora
E toca a delicada pétala do lírio

Astro rei de beleza estonteante
Que aquece a alma do solitário poeta
Ilumine o amor que se encontra tão distante
Levando a ela minha poesia que é discreta

Sol encorpado em mil tons de amarelo
E a brisa morna que sussurra em meu ouvido
Levem pra ela o que eu tenho de mais belo
Então me traga o seu beijo que preciso

É nas manhãs que o coração bate calado
E os pensamentos a buscam pelo infinito
Meu sentimento guardo a ela com cuidado
Pois esse amor é do universo o mais bonito

Jonas Rogerio Sanches
Imagem de Jonas Rogerio Sanches
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...