segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Morte



Quem és tu Senhora Morte?
É meu revés ou minha sorte?
Mais um mistério a desvelar
Mesmo que contigo eu não me importe

Quem és tu Sinistra Morte?
É o real ou o imaginário?
Pra alguns é cruel... Pra outros é hilário
Matas somente o refratário

És tu que causas muitas dores
É o motivo de vários dissabores
Mas mesmo assim me causa encanto
Sempre me guardando em seu manto

Não me preparo para o nosso encontro
Pois vai tirar-me somente o corpo
Proporcionando-me até conforto
Pois em liberdade plena viverei


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Boas Lembranças



Vejo hoje aqueles campos
E lembro-me dos velhos tempos
Onde eu desconhecia o pranto
E passava as noites ao relento

Já não há mais aquela ponte
D’onde saltávamos no riacho
Vidas que passam em um instante
Boas lembranças e um abraço

Ali plantei uma semente
Deixando a marca de uma história
Dela nasceu ipê frondoso
Vestindo um manto majestoso

Quem dera tivesse a chance
De reviver tão bons momentos
Saudade viva em meu semblante
Eons levados aos sete ventos

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

domingo, 20 de novembro de 2011

Brisas do Pensamento



Na brisa fresca da manhã
Abraço o sol... Contemplo o mundo
Não tenho planos para o amanhã
Vivo somente esse segundo

Presente é o tempo em que eu existo
Cuido meus passos e não hesito
Se eu cair... Levanto e insisto
Se escrever errado eu passo um risco

Do que passou tirei lições
Com fé eu cumpro minhas missões
Num bosque verde e perfumado
Vou pra compor minhas canções

Tantas riquezas nessa vida
O amor, a flor e a ventania
Tanta alegria em minha alma
Em renascer pra um novo dia

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Tantas Coisas



Tantas coisas pra falar em poesia
O dia, a noite, a vida e a energia
Mas há momentos que me falta inspiração
Então procuro escutar meu coração

Falar de amor embeleza os meus versos
Mas as palavras escorregam de minhas mãos
Se espalhando às vezes desordenadas
Formando frases escondidas pelo chão

Mas o poeta possui a pena da criação
E da desordem ele anuncia a perfeição
Em sua alma ele vê além do destino
Enxuga o pranto e deixas versos a serem lidos


Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Escala Cromática



Muitos mistérios entrelaçados
Entre a noite e o poeta
Entrecortados pelos acordes
Do violão de um velho asceta

Palavras vagas que descrevem
O som das notas proibidas
Na escala onde nascem anjos
Onde o poeta se eterniza

E na floresta reverberam
O som dos passos de um mago
Que em harmonia ao som do mundo
Com a natureza troca afagos

Mas o poeta tão distante
Sendo levado à melodia
Reflete a noite em seu semblante
Pra comungar com o novo dia

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Necessidades



Nessas veredas eu conto os passos
Que me levaram até você
Minh’alma viaja até o espaço
Para consciência se esclarecer

Ao fim das tardes sinto saudade
Da sua presença e cumplicidade
Nas madrugadas a solidão
Faz sua morada no meu coração

Mas tudo isso passará
É a forja de nossos laços
Nesse planeta onde sou passageiro
Qualquer obstáculo eu ultrapasso

Aguarde então minha chegada
Está próximo o dia da consumação
Até visualizo você na sacada
Num momento perfeito de unificação

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Poeta



Sou poeta de corpo e alma
A rima é o remédio que me acalma
Soluciono nos versos a minha equação
Escutando o que diz o meu coração

Sou poeta do Sol e da Lua
Espalho minhas letras na tua rua
Brindo às estrelas o mistério noturno
E busco pra ti os anéis de Saturno

Sou poeta que canta ao meu Amor
No meu jardim ela é a mais bela flor
É a minha metade... É mulher poetisa
O archote e o guia que minh’alma precisa

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Entrelaçados


Vozes na minha mente
Falando de coisas do coração
Eu escutando atentamente
Para compor essa canção

Transcrevendo o meu desejo
De estar junto de você
Entrelaçados em nossos beijos
Pelo resto do nosso viver

E a cada aurora renascer
Felizes para um novo dia
Sentindo o perfume das montanhas
Olores repletos de magia

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Meus Atos



Cultivo plantas... E o seu amor
Superando assim a minha dor
Olho as estrelas... E os seus olhos
Acumulando com Deus muitos espólios

Amo meus versos... E estar contigo
Sou seu namorado e melhor amigo
Adoro a luz... E os seus abraços
Inquebrantáveis nossos laços

Canto com os pássaros... E para você
Pois é o motivo do meu viver
Poeto a ti... Violeta flor
Sou seu eterno protetor

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...