domingo, 30 de janeiro de 2011

Fim de Tarde



Novamente é fim de tarde
E eu aguardo meu amor
Coração a palpitar
Imaginando seu calor

Novamente é fim de tarde
Eu sentado na varanda
O vento soprando do mar
E um pássaro a cantarolar

Novamente é fim de tarde
Gaivotas em revoada
Eu esperando o tocar do sino
Avisando a sua chegada

Fim de tarde foi-se embora
Deixando o céu alaranjado
Mas estou feliz agora
Pois meu amor está do meu lado

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Primeira Estrela



Estrela primeva que surge no céu
Dando o primeiro brilho ao crepúsculo
Olho-a com pensamentos ao léu
Diante das estrelas me sinto minúsculo

O horizonte escurece revelando a beleza
Desse manto noturno enfeitado por Deus
O brilho da lua prateando a natureza
Lanço-me depressa aos braços seus

Juntos contemplamos até a madrugada
Sorrindo e cantando à noite estrelada
Momentos de paz... Sintonia encantada

Pra selar o momento resolvo compor
Do fundo de um peito liberto da dor
Singelo soneto para meu amor

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Os Homens



O homem nasce, vive e morre
Mas o que fica realmente?
São as obras de sua mente
Consciente e inconsciente

Uns nascem privados da visão
E aprendem ver com o tato e o coração
Outros labutam de sol a sol
E nunca param pra contemplar o arrebol

Há ricos e pobres
Os que comandam
E os que recebem ordens

Mas todos são filhos de Deus
Com direitos iguais aos seus
Sejam eles príncipes ou plebeus

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sábado, 22 de janeiro de 2011

Meus Prazeres



Eu gosto de escrever em verso e rima
Falar de amor, falar da minha menina
Eu gosto de cantar aos quatro ventos
Cantar a melodia dos meus sentimentos

Eu gosto de agradar minha donzela
Por isso encho de flores sua janela
Eu gosto de abraçá-la apertado
E sempre tê-la sorrindo ao meu lado

São tantos gostos nessa minha poesia
Pra descrevê-los levaria vários dias
É tanto amor que sinto por essa mulher
Por ela estou pronto para tudo que vier

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A Verdade de Cada Um



A inocência se dissipou
O mistério foi revelado
A parábola compreendida
E o ser purificado

Transcendeu à linha da vida
Desfigurou-se em lumes e cores
Sua essência antes contida
O libertou dos dissabores

Suas dúvidas se esclareciam
A cada passo dado
A verdade transparecia... Mas somente sua verdade

Verdade que luziu pra si
Mas ao outro foi incompreensão
Pois ainda estava preso... Em sua superstição

Jonas Rogerio Sanches
Imagem :Jonas R. Sanches

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Meu Rito



Rogo proteção a Deus
E empunho minha espada
Com ela traço um círculo
De uma chama azul-dourada

Ao meu lado me acompanha
Figura poderosa e armada
Com vestes majestosas
E de aura iluminada

Lá do leste vem sorrindo
O Arcanjo Rafael
Assistir-me em meu rito
Trazendo a cura para os meus

Do sul vem imponente
Poderoso Arcanjo Miguel
Com sua espada azulada
E seus olhos cor do céu

Do oeste o mensageiro
Santo Arcanjo Gabriel
Vem trazendo boas-novas
Abençoar a minha obra

E por fim vindo do norte
O Arcanjo Uriel
Vem proteger-me de todo mal
Com suas asas cor de mel

Jonas Rogerio Sanches
Imagem : Google

domingo, 16 de janeiro de 2011

Presente do Destino



Estou contigo... Sempre contigo
Presente do destino
Que uniu-nos no infinito
Deu-me sorriso de menino

Sorriso de alegria em meu rosto resplandecente
Quando sua mão me acaricia
Sentados na varanda olhando o céu plúmbeo
Contemplando o fim do dia

Segure minha mão bem forte
E voe comigo em meus sonhos
Como dois pássaros risonhos

E me desperte quando chegar a aurora
Enlace-me em seus braços sem demora
Para juntos ouvir o canto do vento... Lá fora

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sábado, 15 de janeiro de 2011

Tempos Novos... Velhos Caminhos



Um novo ano começa
Tempos de renovação
Mas vivo hoje... Não tenho pressa
Escuto a voz do meu coração

A cada passo seguramente
Adquirindo conhecimento
Fortalecendo meu corpo e mente
Em minha busca que é transcendente

Não sou mais tolo... Fui instruído
Pelo meu Mestre Jesus... Amigo
Que me dá forças a todo o momento
E caminha junto comigo

Sem medo trilho minha jornada
Auxiliando almas afins
Sempre sorrindo e confiante
Sendo feliz a todo instante

Jonas Rogerio Sanches
Imagem : Google

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Uma Cura



Volto o olhar para dentro de mim
Num momento de introspecção
Minha imagem no espelho
Minha alma em reflexão

Uma busca incessante
Em direção a paz
Com meus guias me esclarecendo
Vou eliminando os meus tormentos

Espirito apaziguado
Por esse amor fulgurante
Tempos longínquos... Nós dois distantes
Agora juntos a todo instante

Curado de todos os ferimentos
Adquiridos nessa vereda
Que teve tombos e muito espinho
Agora não estou mais sozinho... Sigo feliz o meu caminho

Jonas Rogerio Sanches
Imagem : Google

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Eflúvios



Eflúvios da consciência
Desmistificantes emanações
Que transpõe de minha poesia
Para desanuviar os corações

Doutrinas de um poeta
Versificando e diversificando
Servindo-se de uma caneta
E o intelecto pairando

Que surjam ensinamentos
Forjados e adaptados
E se esparjam aos quatro ventos

Mas fique a evidência
E elucidações em cada um
Ou desapareçam e fiquem sem nenhum

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

domingo, 9 de janeiro de 2011

Amor Afinado



Na escala desse amor
Os acordes soam afinados
Melodia erudita
De dois corações iluminados

Oh canção harmônica
Entoada a nós... Pelos anjos
Amor de potência atômica
Concerto de mil arranjos

Juntos... Rasgaremos o céu feito cometa
Unidos como nota em partitura
Planaremos como as nuvens no planeta
Solidificaremos esse sentimento como a rocha mais dura

Jonas Rogerio Sanches
Imagem:Jonas R. Sanches

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O gato, o cão e o rato



Era uma vez um gato
Que corria atrás de um rato
O rato se esgueirava
Se escondendo num sapato
Sapato de camurça
Do Sr Feldispato
Feldispato comprou um cão
Para ajudar o gato
Mas para a surpresa de todos
Pegou amizade com o rato
Agora é uma correria
O cão atrás do gato
O gato atrás do rato
E o rato no sapato
Coitado do Feldispato
Não sabia o que fazer
Compro um pato ou um macaco?



Jonas Rogerio Sanches
Imagem : Google

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Reflexão



Cada um tem em si mesmo
As ferramentas necessárias
Para sua evolução.
É somente necessário olhar
Para dentro
E se descobrir




Jonas Rogerio Sanches
Foto de Jonas R. Sanches




Buscas




Com a depuração dos pensamentos
Extinguimos os lamentos
Nossa alma se liberta
Alcançamos o desprendimento

Deixarmos o corpo ao dormir
Experiência e liberdade
Vermos os espíritos a sorrir
A vagar pela eternidade

O retorno é melancólico
Pra essa vida limitada
Mas sempre seguindo em frente
Nessa vida sem parada

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

O Tempo



O tempo vai passando
Trazendo e guardando
Na essência do vento
Lembrança desse momento

O tempo vai levando
Na sua ação tão constante
Todos os maus momentos
Em direção ao esquecimento

O tempo tem seu tempo
De agir ao meu contento
Sua constância vai contando
Quantos dias, vão se passando

Mas vivo no meu tempo
Pois ele é relativo
Se for ruim demora muito
Se for bom é mais ativo

Mas a gente não escolhe
O tempo da nossa vida
Às vezes a vida é longa
E a morte é repentina

Mas tempo não me acolha
Pois vivo minha escolha
Do tempo eu me liberto
Pra trilhar caminho certo

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

domingo, 2 de janeiro de 2011

Manhã de Domingo



Oh Yemanjá, mãe de alvura
Amainou minha dor com sua brandura
Ao fundo no horizonte
Estava Iansã com seus raios cortantes

Contemplando visão bela
Recebi as bênçãos dela
Vinha em minha direção
 Apaziguar meu coração

Obrigado Mãe dos Mares
Protetora de todos os lares
Pela dedicação a mim
Vem com cheiro de jasmim

As gaivotas em revoadas
Fazendo festa para ti
Uma manhã iluminada
De domingo eu vivi

Oh Yemanjá, obrigado pelas bênçãos
Oh Santa Mãe dos Mares
Venha sempre em minha direção
Apaziguar a minha vida
Direcionar meu coração

Jonas Rogerio Sanches
Imagem: Google

sábado, 1 de janeiro de 2011

Cárcere de Amor



Ao seu lado contemplo a lua
Enlaçado em seus braços
Entre beijos e abraços
Minha carne é só sua

Nesse cárcere de amor
Onde sua luz me trás cor
No tocar em sua pele
Sinto a maciez de uma flor

Rendo-me ao seu perfume
Minha deusa, meu lume
Pra enfeitar sua noite
Buscarei vaga-lumes

E no amanhecer
Pra alegrar seu viver
Trarei borboletas
Pra enfeitar o seu ser

E nesse ciclo tão belo
Estaremos juntinhos
Pois te amo e quero
Dar-te muito carinho

Jonas Rogerio Sanches
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...